top of page

Biografia Lauro Rodrigues

Atualizado: 20 de mai. de 2020


Neto do Coronel Camilo Mércio Pereira que foi prefeito de Santo Amaro por aproximadamente 15 anos.

Filho de Laudelina Pereira Mércio Rodrigues e Amaro Joaquim Rodrigues. Irmão do escritor Francisco Pereira Rodrigues. Foi casado com Vanda com quem teve três filhos.

Estudou em Porto Alegre. Era funcionário público estadual. Trabalhou no Departamento de Estatística; o Departamento Central de Polícia e foi censor do Departamento de Fiscalização dos Serviços de Divisões Públicas.

Foi relator no Diário Oficial.

Trabalhou na administração da NOVACAP/Brasília, no ano de 1963 e 1964.

Foi vereador em Porto Alegre. Deputado Federal pelo Rio Grande do Sul. Radialista. Poeta regionalista.

Membro da Estância da Poesia Crioula. Teve uma coluna de crônicas no Jornal a Hora: Buena Tchê.

Teve um programa na Rádio Sociedade Gaúcha: Fogo de Chão (lá ele lançou o cantor Pedro Raimundo).



Algumas obras de Lauro Rodrigues:

- Minuano, poesias regionalistas Globo 1944.

- A Honda dos sentimentos, sonetos e poemas 1946

- Invernada vazia, versus regionais. Editora coruja 1951.

- A evolução do homem e a decadência da dignidade, conferência 1954.

- Sem usar a branca, poemas revolucionários, editora coruja 1957.

- Vocabulário crioulo, Jornal hoje 1957.

- O Rio Grande do Sul, aterre o homem, conferência no CTG Tio Lautério, São Leopoldo 1968.

- Canção das águas prisioneiras ( Escrito pouco tempo antes de morrer nessas mesmas águas).


Lauro Rodrigues morreu afogado, em 1978, no Rio Jacuí (era exímio nadador mas, seu barco virou e as pessoas se agarraram nele, segundo contam).

Alguns anos depois, foi construído uma ponte em General Câmera que levou seu nome.


Carta enviada ao Diretor Silvio por Dóris Mércio.


25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page